Indique este site        
 

BOLETIM

Saiba as novidades do site por e-mail e acesse arquivos exclusivos.

E-mail:

 

CRIATIVIDADE

Buscando regularmente o diferente

A idéia, uma aplicação e um poema-inspiração

 Há vantagens em se repetir certos comportamentos; aprendemos, criamos hábitos. E será que pode haver alguma vantagem em se fazer algumas coisas de um jeito diferente?

Edward de Bono (em Criatividade Levada a Sério) já dizia que o cérebro tende a repetir caminhos muitas vezes trilhados. Daí ele criou as várias técnicas de pensamento lateral, cujo objetivo é buscar novos caminhos para as idéias (veja por exemplo a técnica do estímulo aleatório). O fato é que pode ser também muito divertido. Tente por exemplo vestir uma calça começando com a outra perna; é uma sensação das mais esquisitas. Que tal o desajeitamento de escovar os dentes ou pentear os cabelos com a outra mão? Ou começar a esfregar-se, no banho, pelos pés? Pior, tomar um banho no escuro! 

Criar o hábito de fazer pequenas coisas de forma diferente, além de não custar nada além de um período de familiarização, vai fazer com que o seu cérebro aprenda o padrão e se direcione para gerar regularmente novas idéias e possibilidades. E é claro que a vida, com novas possibilidades,  pode ficar ainda mais interessante.

Se você gostou da proposta, veja abaixo um depoimento sobre aplicação do princípio e um poema de Edson Marques com muitas idéias.

Virgílio Vasconcelos Vilela


Explorando caminhos da cidade

Sou representante de calçados em Belo Horizonte. Criei o hábito de buscar caminhos diferentes, ao dirigir para visitar clientes, ao voltar para casa e em outras situações. Às vezes simplesmente sigo alguma intuição de dobrar uma esquina. Com isto, conheço os caminhos de BH como poucos.

Há algum tempo, trouxe um amigo do interior para trabalhar comigo, morando na mesma casa. Ele me perguntou qual era o melhor caminho de casa ao escritório. Ao invés de responder, contei-lhe o que fazia e sugeri que fizesse o mesmo. Ele comprou a idéia e começou a explorar ruas e avenidas. O resultado foi que, em três meses, passou a dirigir por onde queria em BH como se morasse aqui há anos.

Sérgio "Pimenta" Arruda

Belo Horizonte/MG


Mude

Mas comece devagar,
comece na sua velocidade.

Sente-se diferente, em outra cadeira,
no outro lado da mesa.
Mais tarde, mude de mesa.

Quando sair, ande pelo outro lado da rua,

depois mude de caminho,
ande por outras ruas, mais devagar,
observando os lugares por onde passa.
Tome outros ônibus, se for o caso.


Mude por uns tempos o estilo das roupas,
dê os seus sapatos velhos,
procure andar descalço por uns dias.
Tire uma tarde livre
para passear no parque ou na praia.
Saia sozinho para ouvir o canto dos pássaros.

Veja o mundo de outras perspectivas.


Abra gavetas e portas com a mão esquerda. 
Durma no outro lado da cama. 

Depois, de ponta-cabeça.
Assista a outros programas de tv,
compre outros jornais, 
leia outros livros,
viva outros romances.
Troque de carro.

Não faça do hábito um estilo de vida.


- Ame a novidade.


Corrija a postura, faça ginástica, durma mais tarde, ou acorde mais cedo.
Aprenda uma palavra nova por dia
numa outra língua.
Escolha novas comidas, temperos, cores,
diferentes delícias.

Experimente a gostosura da pouca quantidade.

- Tente o novo todo dia.

O novo lado,
o novo método,
o novo jeito,
o novo sabor,
o novo prazer,
o novo amor.

- A nova vida.

 

Faça novos amigos, mantenha novas relações,

almoce em outros lugares,

vá a outros restaurantes,

tome outros tipos de bebida,

compre pão em outra padaria.
Almoce mais cedo, jante mais tarde - ou vice-versa.
Escolha outro mercado,
outra marca de sabão, novos cremes.
Tome banho em horários variáveis.
Use canetas de outras cores.


Vá passear em outros lugares.

(Comece agora uma viagem para bem longe do aqui.)


Faça amor de modos diferentes.
Troque de bolsa, de carteira, de malas.
compre novos óculos,
escreva outras poesias, jogue fora o despertador.
Abra conta em outro banco.
Vá a outros cinemas, novos cabeleireiros,
outros teatros.
Visite novos museus.

- Mude.


Você conhecerá coisas melhores
e coisas piores do que as já conhecidas,
mas não é isso o que importa.
O mais importante é a mudança,
o movimento, o dinamismo,
a energia.

Dessa forma, apenas dessa forma - você viverá.
- Só o que está morto não muda!

Edson Marques - http://mude.blogspot.com

No livro Solidão a Mil

Indique esta página para um amigo

 

 

 

Copyright 2002- Virgílio Vasconcelos Vilela

Permitida a reprodução desde que citados o autor e a fonte (obséquio dar conhecimento)