Indique este site        
 

BOLETIM

Saiba as novidades do site por e-mail e acesse arquivos exclusivos.

E-mail:

 

INTELIGÊNCIA EMOCIONAL

Lidando com a ansiedade

Em poucos segundos

33% das pessoas que vão ao médico queixam-se de ansiedade. Outro tanto, em alguma época de suas vidas, também sofre de alguma variedade desse problema. A ansiedade está relacionada à forma como a pessoa imagina um ou mais eventos futuros. Por exemplo, alguém vai fazer uma prova, imagina que não vai passar e se vê dizendo coisas terríveis para si mesma e então sente pânico crescente. Há pessoas com medo de público que imaginam, embora em geral não percebam, todas as pessoas na platéia rindo dela. Você pode não acreditar, mas há pessoas com medo de aranhas que imaginam uma imensa aranha indo na direção dela, e é com isso que ficam ansiosas. É claro que isso só ocorre porque a pessoa não tem consciência do que está imaginando; se tivesse, perceberia que não tem motivos concretos para se alarmar.

Em alguns casos, ocorre uma realimentação. Por exemplo, a pessoa ansiosa com uma aranha percebe seu coração disparado e faz especulações sobre um ataque do coração, o que aumenta a sensação de pânico. Esse tipo de realimentação pode ser a causa de ataques de pânico, contrapondo-se à ansiedade de longa duração.

Na verdade, a ansiedade é uma distorção de um processo vital para nós. Para guiar nossas ações, fazemos suposições sobre o que vai acontecer e os recursos que temos para lidar com os eventos futuros que antecipamos. Esse processo tem potencial para gerar esperança ou medo, alegria ou dor. Para conseguir ficar ansiosa, uma pessoa tem que aumentar a significação de um perigo, ignorar seus recursos ou  "encurtar" o horizonte de tempo necessário para lidar com a situação e outras distorções.

Ter consciência do próprio imaginário pode por si só eliminar ansiedades. Uma outra solução-minuto é fazer o seguinte:

"Relaxe os ombros e respire normalmente. Para estabelecer referências do momento presente, olhe em volta, escute alguns sons e preste atenção em algumas sensações do seu corpo. Agora feche os olhos e pense em um evento sobre o qual você está ansioso ou com medo. Saia do momento presente e mentalmente se desloque para o futuro – um minuto após a conclusão do evento sobre o qual você está ansioso (garanta que o evento terminou de maneira satisfatória para você). Agora vire-se e olhe à frente. Abra os olhos."

Após executar o procedimento acima, tente sentir alguma ansiedade; é provável que você esteja rindo, a reação mais comum quando se usa este método. Medo e ansiedade não existem fora do tempo.

Minha experiência: apliquei o método a algumas situações cotidianas, e logo após me surpreendi rindo e mais aliviado. Só então pude perceber como ficava com alguma ansiedade em várias situações, sem notar. Era algo como uma pressa, como se tivesse que acabar logo o que estava fazendo. Após executar a técnica, era como se ficasse mais ligado ao presente, um presente calmo e tranqüilo.

Virgílio Vasconcelos Vilela

Inspirado em trecho de artigo de Richard Bolstad e Margot Hamblett - veja o texto completo em 

http://www.transformations.net.nz/trancescript/calmingdown.html 

Veja também:

Nesta seção: Medo - seu aliado para o sucesso

Suas Capacidades: Visualização

Energização: Como superar limites presumidos

 

Indique esta página para um amigo

 

 

 

Copyright 2002- Virgílio Vasconcelos Vilela

Permitida a reprodução desde que citados o autor e a fonte (obséquio dar conhecimento)