Indique este site        
 

BOLETIM

Saiba as novidades do site por e-mail e acesse arquivos exclusivos.

E-mail:

 

OBJETIVOS & DECISÃO

Miniaturas de produtos e processos

Mapeie seu caminho antes de se entregar a ele

Stephen Covey, no livro Os 7 Hábitos das Pessoas Muito Eficazes, ensina que "quando você está na direção errada, quanto mais rápido vai, mais errado fica". Essa frase tem muitas aplicações, sendo talvez a mais imediata quando estamos caminhando ou viajando. Já se você tem para aprender um novo exercício físico, por exemplo em uma academia, se aprender o exercício incorretamente, quanto mais o fizer, mais risco terá de ter uma lesão.

Também no ambiente de trabalho, por vezes um projeto é iniciado sem que as etapas e os produtos do processo estejam completamente definidos. Isso implica em riscos, como furos no planejamento, retrabalho, baixa produtividade, desgastes, desmotivação. Isso é análogo a iniciar uma viagem sem ter definição clara do destino e do roteiro.

Este artigo sugere uma abordagem tática na concepção de produtos e processos cujo propósito é minimizar esse "risco da direção errada". Vamos mostrar que você provavelmente já usa essa abordagem em alguma medida, e ter um conceito bem exemplificado vai lhe proporcionar ampliar e evoluir esse potencial.

A solução consiste em produzir uma miniatura do produto, do processo ou de ambos, conforme o caso. Dentro da diretriz didática: "Dê-me alguns exemplos que eu mesmo faço as descrições", vamos apresentar vários casos concretos de utilização de uma miniatura, incluindo alguns comuns que você já pode até ter vivenciado.

Casos

Situação: Você está diante de uma piscina, querendo entrar, e há indicações de que a água está mais fria do que você pretende suportar no momento.

Processo: Você imerso na água, nadando contente!

Miniatura: Você põe a ponta de um pé na água para sentir a temperatura.

 

Situação: Você tem que temperar e fritar vários bifes, mas o tempero é novo para você e você teme errar o tempero, para mais ou para menos.

Processo: Temperar todos os bifes e fritá-los

Miniatura: Temperar um bife, fritá-lo e experimentá-lo, calibrando assim a mão com o novo tempero.

 

Situação: Você quer fazer um site para o qual já tem conteúdo, mas não sabe o que deve fazer.

Processo: Preparar o conteúdo e o site como um todo antes de publicá-lo.

Miniatura: Fazer uma única página para o site e descobrir e seguir todo o caminho até o site estar on-line: edição, registro do domínio, provedor, como subir o site, como obter estatísticas. Mapeado o caminho, você pode então concentrar-se no conteúdo do site e em sua preparação.

 

Situação: Você tem que passar uma peça de roupa fina, não tem experiência com isso e teme queimar a roupa, o que seria desastroso.

Processo: Aquecer o ferro e passar toda a roupa.

Miniatura: Após aquecer o ferro, aplicá-lo rapidamente a uma área da roupa que não aparece quando vestida, observar o resultado e ajustar a temperatura se necessário..

 

Situação: Você terminou de redigir uma monografia e agora quer imprimi-la em frente e verso. Mas ele não sabe direito como fazer isso, apenas sabe que o Word tem essa possibilidade, bem como a impressora. Esta tem também a possibilidade de impressão reversa, o que por um lado expande as possibilidades, mas por outro aumenta o risco de impressão não sincronizada. Um possível problema aqui é que, se algo der errado, como a impressora passar duas folhas, tudo que for impresso depois ficará errado.

Produto: A monografia impressa em frente-e-verso.

Miniaturas: Imprimir algumas poucas folhas em frente e verso, certificando-se de que domina o processo. Depois, imprimir 20 ou 30 páginas de cada vez. verificando a sincronização frentes/versos a cada etapa.

 

Situação: Você e seu companheiro ou companheira gostariam de se casar, mas suas mentes estão cheias de histórias de casais que mudaram depois de casados e que não deram certo, e temem prejudicar o ótimo relacionamento atual.

Processo: Casarem-se.

Miniatura: Morarem juntos por um tempo, provocando situações que só ocorreriam depois de casados, testando-se, aprofundando o autoconhecimento e o conhecimento mútuos e descobrindo opções para lidar com as situações.

 

Situação: Você e seu companheiro ou companheira querem ter um filho, mas não se sentem preparados para todas as implicações disto e para atenderem suas responsabilidades - com qualidade.

Processo: Ter o filho, criá-lo e educá-lo.

Miniatura: Alistarem-se como voluntários em uma creche, onde poderão aprender e se aperfeiçoar, possivelmente com orientação.

 

Situação: Você é um professor iniciando uma disciplina prática que requer habilidades, e sabe que muitos alunos têm problemas de motivação, muitas vezes relacionado ao fato de não perceberem a utilidade do conteúdo ou de não acreditarem em sua capacidade de dominar esse conteúdo.

Processo: Dar teoria, depois prática (um muito usado).

Miniatura: Na primeira aula, dar o conteúdo mínimo para que os alunos obtenham um resultado minimamente usável. Se curso de Word, por exemplo, na primeira aula eles deverão elaborar e imprimir seu primeiro texto. Se aula de instrumento musical, eles deverão tocar a primeira música (sem aplicação de critérios de qualidade); se curso de culinária, eles deverão comer um prato que eles mesmo fizerem na primeira aula. Saber os nomes das coisas, nesta abordagem, é secundário, o foco é em fazer.

 

Situação: Luciene canta muito bem, e foi convidada para montar um show com um amigo. Mas ela está insegura e sem confiança e fica apavorada só de pensar na apresentação.

Processo: Preparar e apresentar o show.

Miniatura: Preparar duas ou três músicas e dar canjas em apresentações de outros, em locais de menor responsabilidade. Convidar pessoas que falam a verdade para lhe dar feedbacks honestos. Assim Luciene adquire experiência e identifica oportunidades de melhoria.

Comentários

O conceito aqui apresentado, em síntese, é fazer a concepção e otimização de produtos e processos como miniaturas, ou seja, em menor escala, com os principais elementos estruturais e pouco conteúdo. Em outras palavras, fazer tal miniatura é mapear o destino e o caminho.

A idéia em si não é nova; engenheiros, por exemplo, costumam fazer miniaturas de suas obras para testes em túneis de vento e de outros tipos. O pessoal de animação, como no filme Os Incríveis, por vezes fazem pequenos bonecos dos personagens para visualizá-los melhor. Nossa melhor contribuição aqui talvez seja trazer o conceito mais para o dia a dia. Além disso, dispor de um nome apropriado para algo facilita o pensamento e a utilização da idéia, além da comunicação: "Vamos fazer uma miniatura disso primeiro?". Elaborar uma miniatura pode ser inclusive uma etapa de um projeto.

Começamos este artigo falando do 'risco da direção errada', e propusemos as miniaturas como ação para lidar com esse risco. Pode ser interessante observar também que a base da motivação para fazer uma miniatura de um produto ou processo é exatamente antecipar que algo pode dar errado e não sair como previsto ou desejado. O que poderia ser rotulado de "pensamento negativo", neste caso se torna então o impulso para ações que melhoram não só as chances de chegarmos ao objetivo, como de fazermos isso mais rápido e melhor: um "negativo positivo".

Virgílio Vasconcelos Vilela

Indique esta página para um amigo

 

 

 

Copyright 2002- Virgílio Vasconcelos Vilela

Permitida a reprodução desde que citados o autor e a fonte (obséquio dar conhecimento)