Indique este site        
 

BOLETIM

Saiba as novidades do site por e-mail e acesse arquivos exclusivos.

E-mail:

 

ENSINO

Não balance a caneta laser!

Dica para o uso correto de apontadores luminosos

Hoje é comum apresentadores em palestras e seminários usarem um apontador luminoso, conhecido como caneta laser. Alguns deles têm o hábito de girar a caneta ao redor da área de projeção sobre a qual estão falando. Vamos mostrar aqui inconvenientes desse hábito, que acabam por provocar efeitos contrários aos desejados.

A utilidade

Usar a caneta tem um propósito: indicar à audiência onde prestar atenção. Isso é uma função importante, já que pode haver várias possibilidades e sincronizar a fala do apresentador com o que estamos vendo ou olhando apóia a compreensão. Nosso aproveitamento não será tão bom se, enquanto o apresentador fala, estivermos por exemplo procurando no slide onde está conteúdo relacionado.

Essa condução de atenção é feita pelo facho de luz: o apresentador liga a caneta e a move de forma a apontar um ponto do slide Nós naturalmente seguimos a luz; o apresentador é o líder nesse aspecto.

O inconveniente

Quando o apresentador gira a luz em torno da área-alvo, nós, que estávamos seguindo a luz, tendemos também naturalmente a... continuar seguindo a luz. Ou seja, o apresentador, ao continuar movendo a luz, de fato faz com que nossa atenção seja desviada da área-alvo e tenda a girar junto com a luz.

Assim ao fazer tais movimentos com a caneta laser, quanto mais sucesso o apresentador tem em conduzir a atenção da audiëncia, mais prejudica seus próprios objetivos de informar ou explicar!

A solução

A solução mais óbvia parece ser simplesmente estabilizar a caneta, mas há algo mais. De fato, uma vez que saibamos aonde prestar atenção, não precisamos de mais informações sobre isso e sim nos concentrarmos na leitura e no acompanhamento da fala do apresentador. Assim, e depois que sabemos para onde olhar, a própria presença da luz constitui uma interferência!

A solução portanto é a mais simples possível: apenas indicar onde está o conteúdo de interesse no momento e desligar a caneta, liberando assim a audiência de seguir o apontamento.

O obstáculo

Essa melhoria com relação ao uso da caneta lase foi sugerida a alguns palestrantes, mas em todos os casos os envolvidos continuaram a fazer a mesma coisa. Isso pode ter ocorrido porque não ficaram convencidos ou porque não conseguiram ou não souberam mudar, o que é compreensível porque na hora da ação nossa atenção tem coisas mais importantes a enfatizar do que hábitos motores. Certas ações têm mesmo que ser feitas subconscientemente, liberando nossa percepção e pensamento para o ambiente e ações que requerem decisões de tempo real. Mas um risco potencial de comportamentos automatizados é continuar executando o comportamento anterior, mesmo quando uma nova e melhor opção se apresenta.

Caminhos

Pode lhe parecer um tanto quanto óbvio, mas um caminho para mudar um hábito é exercitá-lo, ou seja, praticar um pouco o novo hábito, em condições controladas. Um facilitador da mudança é concentrar-se em um objetivo de cada vez, ou seja, quando estiver exercitando um novo hábito quanto a apontadores, enfoque apenas isso, e ignore outros aspectos da apresentação, como por exemplo postura, posicionamento, oratória e conteúdo.

Para acelerar a estabilização da mudança, você pode também executar os exercícios bem lentamente no início (veja  Aprendizagem: Aprender também o contrário???). Para testar, simule condições realistas e veja se seu comportamento espontâneo passou a ser o novo.

Uma opção de prática que pode ser feita em qualquer lugar é ensaiar mentalmente, imaginando um cenário em que você está apresentando com caneta laser e inserindo nele o novo comportamento.

Virgílio Vasconcelos Vilela

Indique esta página para um amigo

 

 

 

Copyright 2002- Virgílio Vasconcelos Vilela

Permitida a reprodução desde que citados o autor e a fonte (obséquio dar conhecimento)