Indique este site        
 

BOLETIM

Saiba as novidades do site por e-mail e acesse arquivos exclusivos.

E-mail:

 

INTELIGÊNCIA EMOCIONAL

Depressão: doença ou capacidade?

Nova visão de um problema, novas possibilidades

Trechos de um livro de Richard Bandler que alteram dramaticamente a compreensão do que é o processo de estar deprimido - e portanto o que pode ser feito para lidar com ele.

Pneus podem causar depressão?

Cena vez, perguntei a um homem de que maneira ele ficava deprimido, e ele respondeu: "Bom, quando entro no meu carro e descubro que um dos pneus está arriado". Bem, é verdade que isso é desagradável, mas não me parece o suficiente para se ficar deprimido. Como é que você faz para que se torne deprimente de verdade?

Eu sei que para cada uma das vezes que o seu carro quebrou houve centenas de vezes em que ele funcionou à perfeição. Mas, ele não pensava naquele momento sobre isso. Se eu conseguir com que ele pense em todas as ocasiões em que o carro funcionou bem, ele não ficará deprimido.

O que é preciso fazer para se deprimir?

Fui certa vez consultado por uma mulher que dizia estar deprimida. "Como é que você sabe que está deprimida?" Ela me olhou e respondeu que o seu psiquiatra havia-lhe dito. Eu disse: "Talvez ele esteja errado; talvez você não esteja deprimida; talvez isto seja estar felizl". Ela olhou para mim, levantou a sobrancelha e disse: "Acho que não''. Mas ela não havia respondido à minha pergunta: "Como é que sabe se está deprimida?". Se você estivesse feliz, como saberia?" "Você já esteve feliz alguma vez?"

Descobri que a maioria das pessoas deprimidas teve tantas experiências agradáveis quanto as outras pessoas, só que quando elas se lembram dessas experiências acham que não foram tão agradáveis assim, na realidade. Em vez de usarem lentes cor-de-rosa, usina lentes cinza. Conheci uma senhora maravilhosa que colocava uma coloração azulada nas experiências desagradáveis e uma rosa nas que eram agradáveis. Ela classificava-as bem. Ao se lembrar de algo, e mudar a sua cor, a lembrança era completamente transformada. Não sei lhes dizer por que funciona, é assim que ela o faz subjetivamente. 

16 anos ou 25 horas de depressão?

A primeira vez que um dos meus clientes disse: "Estou deprimido", respondi: "Oi, sou Richard". Ele parou e disse: "Não". "Não sou?" "Espere um pouco. Você está confuso." "Não estou confuso. Está tudo muito claro para mim." "Sinto-me deprimido há 16 anos." "Muito interessante! Nunca dormiu durante todo este tempo? " A estrutura do que ele estava dizendo era a seguinte: "Eu codifiquei a minha experiência de tal maneira que estou vivendo na ilusão de manter o mesmo estado de consciência por 16 anos''. Eu sei que ele não está deprimido há 16 anos. Ele tem de almoçar, se chatear e outras coisas mais. 

Tentem manter o mesmo estado de consciência por 20 minutos. Gasta-se muito dinheiro e tempo para aprender a meditar para manter o mesmo estado durante uma ou duas horas. Se uma pessoa ficasse deprimida durante uma hora seguida, nem mesmo seria capaz de percebê-lo porque a sensação se tornaria um hábito, ficando assim imperceptível. Se fazemos algo durante muito tempo, não seríamos mais capazes de percebê-lo. Isto é o que o hábito faz, mesmo a nível de sensação física. Assim, eu sempre me pergunto: "Como esta pessoa pode acreditar que tem estado deprimido todo este tempo?''. 

Pode-se curar algo que na verdade a pessoa nunca teve. "16 anos de depressão'' podem ser, na realidade, apenas 25 horas de depressão. Porém, se aceitarmos a afirmação deste cliente de que "Estou deprimido há 16 anos" sem questionar, estaremos aceitando a pressuposição de que ele tenha mantido um mesmo estado de consciência por tanto tempo. E, se partimos do princípio de que o objetivo é torná-lo feliz, estaremos tentando colocá-lo permanentemente em outro estado de consciência. Talvez até se consiga fazê-lo crer que é uma pessoa feliz o tempo todo. Podemos ensinar-lhe a recodificar todos os momentos da sua vida como felizes. Não importa o quanto ele se sinta infeliz, pensará que está feliz o tempo todo. Na realidade, nada mudou para ele no presente - apenas quando ele pensa no passado. O que aconteceu foi que lhe demos uma nova ilusão para substituir a anterior.

Pode estar faltando o que fazer

Muitas pessoas sentem-se deprimidas porque têm uma boa razão para tal. Muitas têm vidas vazias, sem nenhum sentido e sentem-se infelizes. O fato de conversar com um terapeuta não mudará em nada essa condição, a não ser que a pessoa passe a viver de maneira diferente. Se alguém prefere gastar dinheiro em terapia, em vez de gastá-lo para divertir-se, não se trata de uma deficiência mental, mas de estupidez! Se você não fizer nada, é claro que ficará entediado e deprimido. Um exemplo extremo disto é a catatonia.

Como ficar deprimido

Quando alguém me diz que está deprimido, faço o de sempre: quero descobrir o que ela faz para ficar deprimida. Acho que se puder refazer os seus passos de maneira metódica e descobrir o que esta pessoa faz tão bem que possa repeti-lo, então posso dizer-lhe o que fazer para mudar a maneira de agir, ou achar alguém que não esteja deprimido e descobrir o que este faz para não ficar. Algumas pessoas ouvem uma voz interna, que parece lenta, dar-lhes a lista do que fizeram de errado. É muito fácil ficar deprimido, assim. É como se tivessem alguns dos meus professores de faculdade dentro da cabeça. Não é de admirar que estas pessoas sintam-se deprimidas. Às vezes a voz interna é tão baixa que a pessoa não se dá conta até o momento em que você lhe pergunta. E, como se trata de uma voz inconsciente, terá um efeito muito mais forte do que se fosse consciente - o impacto hipnótico será mais profundo ainda. 

Se uma das suas clientes tem uma voz interna que a faz ficar deprimida, tente aumentar o seu volume para que perca o seu impacto hipnótico. Em seguida, mude o tom de voz, para que se torne amistoso. A sua cliente se sentirá bem melhor, mesmo que a voz continue a recitar listas das suas falhas. 

Muitas pessoas deprimem-se com imagens, e há toda uma série de variações. A pessoa pode criar colagens de todas as vezes em que falhou no passado, ou criar milhares de imagens de como as coisas poderiam ser ruins no futuro. Pode-se olhar para qualquer coisa do mundo real e sobrepor uma imagem da maneira como aquilo será em 100 anos. Vocês certamente já ouviram falar em "começarmos a morrer na hora em que nascemos''. Esta é genial.

Richard Bandler

No livro Usando sua Mente - Coisas que você não sabe que não sabe (Summus)

Veja também:

Nesta seção: O futuro se abriu em possibilidades

Seção Suas capacidades

Indique esta página para um amigo

 

 

 

Copyright 2002- Virgílio Vasconcelos Vilela

Permitida a reprodução desde que citados o autor e a fonte (obséquio dar conhecimento)